Header Ads

Cultura Pop A Rigor na Colab55

Review – A Qualquer Custo

A Qualquer Custo

Hell or High Water
Direção: David Mackenzie
Elenco: Chris Pine, Ben Foster, Jeff Bridges, Gil Birmingham, Dale Dickey, Katy Mixon, Taylor Sheridan.


Hell or High Water foi um dos filmes do ano passado mais elogiados na minha timeline lá no piador e eu fiquei muito interessado no longa, tanto pelo tipo de filme, que eu gosto bastante, quanto pelo elenco. Eis que o longa está na disputa do Oscar concorrendo a quatro estatuetas (filme, ator coadjuvante para o dude, roteiro original e edição). 

A trama é sobre dois irmãos, um ex-presidiário e um pai divorciado (Ben Foster e Chris Pine), que perderam a fazenda da família no Texas e começam a assaltar bancos com a intenção de se restabelecerem financeiramente. Na cola da dupla está o delegado interpretado por Bridges.


Um road movie com elementos de western, Hell or High Water seria apenas mais um faroeste moderno se não fosse o interessante pano de fundo. O roteiro bem estruturado de Taylor Sheridan, também escritor de Sicario, estabelece uma conexão com a grave crise econômica e imobiliária americana, onde as instituições bancárias tomam propriedades. Atente para o ótimo diálogo travado entre o delegado e seu auxiliar comparando a forma como o povo americano se encontra nas mãos dos bancos de forma semelhante como as tribos perderam suas terras.


Pine e Foster estão ótimos. Ambos compõem personagens que cativam sobretudo pela relação entre os dois irmãos, demonstrando afeto com falsas trocas de socos e não se encarando olho no olho em situações mais dramáticas. Foster, aliás, é para mim um dos melhores interpretes da geração atual e confirma aqui como o irmão “mais bandido”. Jeff Bridges se destaca e mereceu a indicação ao careca dourado com seu xerife desencantado.

O maniqueísmo é evitado e os personagens são extremamente reais com seus defeitos e qualidades. Os coadjuvantes também são destaque, conferindo brilho a narrativa, como a garçonete que fica irritada quando o tira sugere confiscar a gorjeta, produto de roubo, que ela recebeu e a senhora que atende os dois policiais em outro estabelecimento. Vale destacar ainda a fotografia árida e a trilha sonora pensada com cuidado para se encaixar aos cenários do filme.


O filme se desenvolve com um bom ritmo, mas vi muita gente criticando a “falta de ação” do longa. Talvez porque esperassem apenas mais um filme de roubo. Mas apesar de ter um tiroteio final competentíssimo, Hell or High Water ser preocupa mesmo é em criticar às políticas que favorecem o lucro dos bancos em tempos de crise. E consegue isso sem deixar de ser entretenimento. Apostando em boas doses de tensão e no carisma dos personagens, nunca é entediante.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Autor: MARC TINOCO

Cinema, música, tokusatsu e assuntos aleatórios não necessariamente nessa ordem. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.