Header Ads

Loja Cultura Pop A Rigor

Review - Trilogia Street Fighter

The Street Fighter 

Gekitotsu! Satsujin Ken
Direção: Shigehiro Ozawa
Elenco: Sonny Chiba, Goichi Yamada, Yutaka Nakajima, Tony Cetera, Masafumi Suzuki, Masashi Ishibashi, Jirô Chiba, Etsuko Shihomi
Japão, 1974



Nesse início de ano resolvi assistir uns filmes de artes marciais japas produzidos pela Toei Company, que queria ver faz tempo. Especificamente a franquia The Street Fighter, estrelada por Sonny Chiba e dirigida por Shigehiro Ozawa. Não, não tem nada a ver com o joguinho (nem a versão de rodoviária). Nada de radukens ou alexfulls por aqui, só pancadaria da boa comendo solta.

The Street Fighter é o primeirão. um filme sem mocinhos. Chiba é um bandido de aluguel bem escroto que se oferece para proteger a herdeira de uma grande companhia por causa de uma treta com a máfia. Esse fiapo de roteiro é a desculpa para a porradaria generalizada, muitas delas realizadas em corredores (chupa Marvel/Netflix). Ao contrário das lutas mais realistas dos filmes do Bruce Lee, aqui o exagero domina.



As mãos de Takuma Tsurugi (Chiba) são mortais e ele é capaz até mesmo de arrancar as bolas de um dos adversários com ela. O sangue cenográfico jorra. Assistimos até um crânio sendo esmagado em visão de Raio X (copiado a exaustão em Romeu tem que Morrer, com Jet Li).  Além das habilidades marciais, as caretas de Chiba são um show à parte.

The Street Fighter tem um confronto final genial num convés de navio, durante uma noite de tempestade. É essa sequência que aparece em Amor a Queima- Roupa (1993), quando o personagem de Christian Slater assiste o longa num cinema poeira. Dirigido por Tony Scott, o filme tem roteiro de Quentin Tarantino, que é grande fã da produção e até colocou Chiba em Kill Bill vol.1, como o Hattori Hanzo.

The Street Fighter teve duas continuações, filmadas no mesmo ano. Não batem no original, mas também são bem bacana e divertidas.



Return of the Street Fighter 

Satsujin Ken 2
Direção: Shigehiro Ozawa
Elenco: Sonny Chiba, Yôko Ichiji, Masashi Ishibashi, Claude Gagnon, Hiroshi Tanaka, Masafumi Suzuki
Japão, 1974



Em The Returno of Street Fighter, Takuma é contratado para eliminar o proprietário de uma escola de artes marciais, porém ele conhece a vítima e decide não aceitar o trabalho. Os bandidos ficam irritados com a recusa e começam a mandar assassinos para matar o mercenário. Grande erro, claro.


Assim como no primeiro, o roteiro é uma desculpa para exageradas cenas de extrema porradaria desenfreada, com direito a globos oculares risivelmente saltando do rosto de um dos adversários de Takuma. Não chega a ter um momento tão memorável como a luta final do primeirão e perde tempo com flashbacks desnecessários, mas ainda diverte à beça. Já The Street Fighter’s Last Revenge quase cai na maldição do terceiro filme.



The Street Fighter’s Last Revenge

Gyakushū! Satsujin Ken 3
Diretor: Shigehiro Ozawa
Elenco: Sonny Chiba, Etsuko Shihomi, Reiko Ike, Kôji Wada, Tatsuo Endo, Akira Shioji, Masafumi Suzuki
Japão, 1974



Aqui os roteiristas resolveram trabalhar um pouco e entregar uma trama…digamos…mais elaborada. Eles ainda tentam dar uma atenuada no mau-caratismo do protagonista e a vaca quase vai pro brejo. Dessa vez o mercenário fica de posse de uma fita com um áudio que compromete figuras poderosas.

O filme tem boas cenas de ação. Apesar de menos porraloka que os dois primeiros capítulos, ainda é um encerramento digno da trilogia. O que me decepcionou mesmo foi a curta participação da linda Etsuko Shihomi, que estava divertida.



Todos os filmes foram lançados por aqui naquela coleção de DVD’s barateiros e horrorosos da Works, que só traziam a versão dublada pelos americanos. Cheguei a comprar A Lenda dos Oitos Samurais (83), mas parei por aí. Fica a dica para a Versátil lançar um box com a série trazendo o áudio original, que é supimpa.

Existe uma outra franquia chamada Sister of the Street Fighter, estrelada por Etsuko Shihomi, também de 74. Apesar do nome e do Sonny Chiba aparecer no primeiro filme, não tem relação alguma com a saga de Takuma. Aliás, esses filmes respeitam tanto a continuidade quanto os X-Men do Bryan Singer, pois Etsuko Shihomi retorna no terceiro Street Fighter depois de ter batido as botas no primeiro. Well, pelo menos ela fazia outra personagem…


Óbvio ululante que assistirei esses filmes com a Etsuko e em breve falo deles por aqui (posso adiantar que já vi o primeiro e achei massa, pois adoro ver mulher baixando a porrada nos marmanjos)

Follow Cultura Pop A Rigor on Feedio

Autor: MARC TINOCO

Cinema, música, tokusatsu e assuntos aleatórios não necessariamente nessa ordem. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.