Segundo The Hollywood Reporter, o diretor e produtor cinematográfico Menahem Golan faleceu aos 85 anos. A galera mais nova provavelmente não deve conhecer ele, mas basta dizer que parte do elenco da franquia Mercenários (Van Damme,  Lundgren, Norris e até Stallone) deve muito a esse senhor.

Nascido em 31 de maio de 1929, Menahen Golan dirigiu e produziu, com o primo Yoram Globus, filmes em Israel, obtendo êxito. Logo, os dois primos decidiram se mudar para Hollywood. Em 1979, compraram o falida Cannon Group e a transformaram em um dos estúdios independentes de maior sucesso da década de 80.

 Golan produziu mais de 200 filmes, inclusive obras de cineastas renomados como John Cassavetes (Amantes, 1984), Robert Altman (Louco de Amor, 1985), Franco Zefirelli (Otello,1986), Jean-Luc Godard (Rei Lear, 1987), Andrei Konchalovsky (Os Amantes de Maria, 1984)… mas foi com o  cinema de ação que a Cannon se fez.

com Stallone

Seus filmes de ação com baixo orçamento faziam muito sucesso no cinema e nas prateleiras das locadoras. Chuck Norris era astro com Braddock – O Super Comando (1984) e Comando Delta (1986). O lendário Charles Bronson voltava a meter fogo na bandidagem nas sequências do sucesso setentista Desejo de Matar. Stallone estrelava Cobra (1986), um dos seus mais emblemáticos personagens. Os ninjas se tornavam febre com um filme estrelado por um improvável Django Franco Nero e dirigido pelo próprio Golan, Ninja- A Máquina Assassina (1981). Jean Claude Van Damme virava ídolo do cinema de artes marciais com O Grande Dragão Branco (1988). Golan também viajava por outros gêneros: produziu a ficção-cientifica Força Sinistra (1985), a segunda parte de O Massacre da Serra Elétrica (1986) e os dois filmes de Allan Quatermain (1985 e 1986), que pegavam carona no sucesso de Indiana Jones, por exemplo.

com Yoram Globus

Golan, claro, produziu até filmes de super-heróis. Em 1987 lançou Superman 4 – Em Busca da Paz, e Mestres do Universo, com Dolph Lundgren no papel de He-man. Os resultados não foram nada animadores, artística e financeiramente falando. Mais tarde ele produziu também um horroroso filme do Capitão América (1990). Houve ainda várias tentativas de fazer um filme do Homem-Aranha que nunca virou realidade, pro bem ou pro mau (leia sobre isso no blog Filme Para Doidos). 

O último filme da produtora foi Cyborg- O Dragão do Futuro (1989), com Van Damme, realizado com material que seria usado nos abortados Homem–Aranha e Mestres do Universo 2. Depois veio a falência.

Em maio passado, Golan e o primo estiveram em Cannes, onde apresentaram The Go-Go Boys, documentário israelense sobre a história deles e da Cannon, que será lançado em outubro.

Yoram Globus e Menahen Golan em Cannes

Minha infância foi marcada pelos filmes da Cannon e sempre vou ser agradecido a eles por tornarem meu Domingo Maior e pelas divertidas sessões da tarde. Sempre vou lembrar de Norris massacrando um terrorista no clímax de Comando Delta, do ninja indestrutível de Ninja 3 - A Dominação, do Guerreiro Americano, de Mathilda May seduzindo astronautas incautos…

 


Enfim, Obrigado CANNON.


Espalhe:

Marc Tinoco

Post A Comment:

0 comments so far,add yours