Header Ads

Loja Cultura Pop A Rigor

Marilyn Monroe: Muito mais que sexy symbol

 Dispensa apresentações, mas lá vai:  nascida em  Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos, Norma Jeane Mortenson, a.k.a, Marilyn Monroe, foi atriz, cantora e modelo, atuou em 29 filmes, entre os anos de 1947 e 1962, se tornou talvez o maior sex symbol de Hollywood e com certeza um dos maiores mitos da história do cinema.



Após passar parte da infância em lares adotivos, Monroe iniciou a carreira como modelo, até que começou a fazer pequenas aparições em filmes da Fox.  Em 1952 fez seu primeiro papel principal em Don’t Bother to Knock (Almas Desperadas). Em 1953 foi a primeira coelhinha da Playboy, mas as fotos não haviam sido tiradas para a revista, mas sim, quatro anos antes, para um calendário, mas Hugh Hefner tratou de comprá-las. 







No cinema, alguns dos maiores clássicos de Marilyn são: O Pecado Mora ao Lado, de 1955, Quanto Mais Quente Melhor de 1959, Os Homens Preferem As Loiras, 1953, Torrente de Paixão e Como Agarrar Um Milionário também de 1953, entre outros.







Monroe estudou na Actors Studio para melhorar sua atuação a partir do filme, Bus Stop (Nunca fui santa, 1956), que foi aclamado pela crítica. Ela teve uma produtora, a “Marilyn Monroe Productions", que realizou The Prince and the Showgirl (O Príncipe Encantado, 1957), filme pelo qual ela foi indicada ao BAFTA e ganhou o prêmio italiano David di Donatello. Marilyn também ganhou um Globo de Ouro por sua atuação em Quanto Mais Quente Melhor. O último filme que concluiu foi The Misfits (Os Desajustados de 1961), ao lado de Clark Gable, Montgomery Clift e Eli Wallach.

Frank Taylor, Montgomery Clift, Eli Wallach, Arthur Miller, Marilyn Monroe, John Huston, Clark Gable











Frank Taylor, Montgomery Clift, Eli Wallach, Arthur Miller, Marilyn Monroe, John Huston, Clark Gable

Infelizmente morreu em 1962, por uma overdose de barbitúricos. Até hoje se especula que tenha sido um suicídio, mas também pode ter sido overdose acidental, e até homicídio, segundo alguns. Em 1999 Monroe foi eleita a sexta maior estrela feminina de todos os tempos pela American Film Institute. Ela sem dúvida é um ícone do cinema e da cultura pop, além de o símbolo sexual máximo dos estadunidenses. Muitos a consideram também a mulher mais sexy de todos os tempos.





 Marilyn, fez o estereótipo loira bonita e burrinha em muitos filmes, mas se engana quem acha que ela era realmente assim; era uma atriz de verdade, fez diferentes papeis e era uma mulher corajosa e humana, como muitos que a conheceram afirmam. Amiga e secretária, Patricia Newcomb, afirmou que Monroe fez uma vez um pedido para que o repórter que a entrevistou colocasse um artigo sobre o que ela defendia e falou: 

“O que eu realmente quero dizer é que o mundo realmente precisa é de um verdadeiro sentimento com o próximo. Todos, como: estrelas, operários, negros, judeus, árabes. Somos todos irmãos. Por favor, não faça piada, termine a minha entrevista com o que eu acredito". Não foi atendida pelo tal repórter.


 Marilyn era amiga da cantora Ella Fitzgerald, que contou:

“Devo a Marilyn Monroe uma dívida real… foi por causa dela que eu cantei  no Mocambo, uma discoteca muito popular nos anos 50. Ela ligou pessoalmente para o dono do clube, e lhe disse que queria que ele imediatamente me agendasse [para se apresentar no local], e se ele fizesse isso, ela iria pagar uma mesa a frente todas as noites. Depois disso, eu nunca mais me apresentei em clubes pequenos de jazz. Ela era uma mulher incomum, muito a frente do seu tempo. E ela não sabia.”

Uma mulher admirável.

Follow Cultura Pop A Rigor on Feedio

Autor: DRÉ TINOCO

Professor de Geografia, cinéfilo nas horas vagas 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.